{ Resenha } Dr. House


Titulo: Dr. House

Status: Finalizada

Temporadas: 8

Gênero: Drama / comédia

Classificação: 5/5



Esta foi, de longe, a melhor séria que eu já assisti em toda minha vida! Ela é bem grande, mas não é entediante como muitas que vemos por ai. Pelo contrário. Cada episódio surge um mistério, uma doença que o Dr House e sua equipe precisam solucionar para salvar mais uma vida. 
Na minha opinião, o melhor da séria é justamente o personagem principal, o doutor Gregory House, com sua genialidade e seu mau humor, somando a uma pitada de sarcasmo e sua ousadia para fazer coisas que nenhum médico do mundo arriscaria fazer para tentar salvar uma vida. 

Dr. House é infectologista e chefe do departamento de diagnósticos do hospital Princeton-Plainsboro, em Nova Jersay. Eu comecei a série odiando este homem arrogante, ignorante, manipulador... E terminei amando-o de todas as formas possíveis. 
Porque? Ele é um homem extremamente mau-humorado, cético, sarcástico, anti-social e um viciado em remédio para dor . É o tipo de pessoa que procura se manter o mais longe possível das pessoas e, principalmente, dos seus pacientes. Um tanto incomum, House leva essas características para o campo profissional, fazendo com que todos a seu redor o odeie, exceto sua chefe, a Dra. Cuddy e seu melhor e único amigo, Dr. James Wilson. Ele tem uma enorme necessidade de mostrar que está sempre certo e que é mais inteligente que todos os seus colegas de trabalho. E claro, isso faz com que todos que estejam assistindo a série odeie esse personagem, mas aos poucos vamos entendendo os motivos que o fazem agir desta forma. 

Tem também outros personagens secundários que deixando a série ainda mais perfeita. Cada um com sua peculiaridade, malicia e sua maneira de aguentar o chefe mau-humorado. 
A trama ainda tem um amor enrustido entre House e sua chefe, a Dra. Cuddy. Ambos sentem um sentimento ou uma atração sexual tão forte um pelo outro que não conseguem disfarçar para ninguém, mas não assumem essa paixão ou atração física nem a pau. Isso deixa a série ainda mais engraçada e interessante, fazendo com que a pessoa que esteja assistindo não queira mais parar. Eu, particularmente, me apeguei a todos eles de uma maneira diferente, cada um a sua maneira, e até hoje, muito tempo após ter assistido, sinto falta de todos eles, mas principalmente do tão odiado e amado ao mesmo tempo, Dr. Gregory House. Há um momento em que ele faz com que todos pensem que ele está doente, com câncer, o que me fez derramar em lágrimas mesmo sem nada ter acontecido com ele, mas serviu para eu ter uma noção do que iria sentir quando a série terminasse. E quando isso aconteceu... 





Nenhum comentário:

Postar um comentário